Portadores de HIV/AIDS podem planejar a gestação sem riscos ao bebê

> Blog

Portadores de HIV/AIDS podem planejar a gestação sem riscos ao bebê

2 de dezembro de 2018

Dezembro Vermelho é uma campanha mundial para conscientizar a população sobre o vírus HIV/AIDS. As técnicas de reprodução assistida podem contribuir para que uma pessoa soropositiva tenha um bebê com risco minimizado de transmissão do HIV ao parceiro ou à criança.

De acordo com a Sociedade Americana da Medicina Reprodutiva, 86% diagnosticadas com o vírus HIV estão em idade reprodutiva (15 a 44 anos) e tem o desejo de uma gestação. Elielma Ferreira, ginecologista da Genesis Brasília, explicou um pouco mais sobre as possibilidades e procedimentos para esse caso.

01) Quais são as formas de transmissão de HIV/Aids?
O vírus HIV é transmissível por meio de relações sexuais desprotegidas, transfusão de sangue contaminado e transmissão da mãe pro bebê na hora do parto. A AIDS já é a síndrome e nem todo portador de HIV a desenvolve.

02) Quais são os métodos de prevenção?
A transmissão pode ser evitada com relações sexuais protegidas, ou seja, usando camisinha. Pelo sangue, quando os bancos de sangue fazem teste antes da transfusão. E também da mãe para o bebê, quando ela já sabe do vírus, são utilizadas medicações na hora do parto, antes do nascimento, para evitar que o bebê pegue o vírus.

03) É possível que uma pessoa soropositiva planeje a gravidez com riscos reduzidos de transmissão ao parceiro?
Sim. Se a mulher for portadora e o homem não, o procedimento realizado pode ser a FIV, ou seja, o óvulo será coletado e o homem coletará o sêmen. No laboratório a bióloga vai injetar o espermatozóide no óvulo, previamente tratado, para não ter o vírus. Posteriormente ocorre a transferência do embrião para a mãe e, no nascimento, um medicamento é aplicado para que o bebê não pegue o vírus.

Quando o homem é o portador do HIV e a mulher não, a inseminação artificial pode ser a melhor estratégia. Nela, o marido coleta o sêmen, que será tratado para minimizar a quantidade de vírus, e depois os espermatozoides são transferidos para a mulher com um cateter. Dessa maneira, as chances são pequenas de contágio tanto a mulher quanto ao bebê.

04) Como planejar a gravidez com poucos riscos de transmissão ao bebê?
Utilizando técnicas de Reprodução Assistida, como a Fertilização In Vitro e a Inseminação Artificial. Caso a mãe seja portadora do vírus, durante a gestação é fundamental que ela faça o pré natal e que continue fazendo uso de suas medicações para o HIV.

05) Gostaria de acrescentar mais alguma informação?
Hoje o vírus HIV é uma doença altamente controlável, entretanto, é muito importante que os portadores tenham uma bons hábitos de vida, como cuidado com a alimentação, uso das medicações indicadas e a prática de atividades físicas para que imunidade não fique baixa e o vírus não de desenvolva.

GENESIS – Com 26 anos de atuação, a Genesis – Centro de Assistência em Reprodução Humana conta com profissionais especializados, formados nos principais centros acadêmicos do mundo para prestar serviços de excelência na área de reprodução humana assistida. Com uma ampla experiência, a equipe Genesis busca constantemente a qualidade em medicina reprodutiva agregando conhecimento e tecnologia e primando pela assistência ética, personalizada, com confidencialidade e foco no melhor resultado para cada caso.

Por Larissa Sampaio
Conversa Coletivo de Comunicação Criativa

Mais Notícias

Quando é meu período fértil?

Pacientes diagnosticados com câncer podem ter filhos após o tratamento

Endometriose atinge cerca de 7 milhões de brasileiras e pode provocar infertilidade

Genesis apoia a realização da Endomarcha em Brasília

Inseminação Artificial: uma das técnicas de Reprodução Assistida

Por que a idade influencia na fertilidade feminina?

Conheça a laparoscopia: um procedimento minimamente invasivo

A importância da ultrassonografia na avaliação de pacientes

Tudo que você precisa saber sobre gestação ectópica

Reversão de vasectomia pode recuperar fertilidade masculina