Mitos e verdades sobre a FIV

> Blog

Mitos e verdades sobre a FIV

Infertilidade é a capacidade de ter filhos devido à alterações nos sistemas reprodutores masculino ou feminino. A fertilização in vitro (FIV) é um tratamento de Reprodução Assistida para pessoas que desejam ter filhos, mas não podem de maneira natural, entretanto, ainda existem muitas dúvidas sobre o tema.

Por isso, nosso ginecologista Nicolas Cayres explica e esclarece alguns mitos e verdades sobre a FIV:

1) A técnica é totalmente eficaz

Mito. Como em todo procedimento médico, a técnica tem suas limitações, porém, em pacientes com menos de 40 anos, as taxas de sucesso podem chegar a cerca de 50 a 60%.

2) Quanto mais embriões utilizar, maiores as chances de sucesso

Mito. A taxa de sucesso depende diretamente da “idade do óvulo” da paciente. Quanto mais jovem, maiores as chances de sucesso, independente do número de embriões.

3) A FIV aumenta o risco de gestação múltipla

Verdade. Apesar de não ser verdade que necessariamente teremos uma gestação múltipla como resultado de uma FIV, as taxas de gestação gemelar tendem a ser maiores a pacientes que se submetem a tal procedimento.*

4) Mulheres com mais de 40 anos não podem realizar a fertilização in vitro

Mito. Mulheres com mais de 40 anos podem ser submetidas a FIV. Apesar das taxas de sucesso serem menores, são levados em consideração fatores como taxas hormonais e reserva ovariana, quando a paciente deseja fazer com óvulos própros. Existe ainda a opção de óvulos doados, sempre de uma doadora jovem, o que aumenta as chances de sucesso.

5) Inseminação artificial e fertilização in vitro são os mesmos procedimentos com nomes diferentes

Mito. Fertilização in vitro consiste na junção do óvulo com espermatozoide em laboratório (in vitro) e posterior transferência do embrião já formado para o útero. Inseminação artificial é a transferência intra-uterina do sêmen preparado no momento da ovulação, após estímulo hormonal adequado, ou seja, a fecundação ocorre naturalmente no organismo da paciente. As duas técnicas possuem indicações específicas, avaliadas pelo médico especialista assistente.

6) A fertilização in vitro pode ser usada para prevenir as doenças hereditárias

Verdade. Hoje já é possível a prevenção de doenças hereditárias através da análise e seleção de embriões sadios previa a transferência.

7) O bebê gerado pela fertilização in vitro é tão saudável quanto um bebê gerado naturalmente

Verdade. Os estudos vigentes não apontam diferenças no desenvolvimento de crianças concebidas por FIV.

8) Usar regularmente a pílula do dia seguinte pode afetar os resultados da FIV

Mito. Apesar do uso regular da pílula dia seguinte não ser uma prática recomendada, isto não altera os resultados da FIV.

9) No Brasil já é possível pagar por uma barriga de aluguel

Mito. No Brasil a “barriga de aluguel” (útero de substituição) não tem caráter financeiro. Tal prática tem caráter altruísta e é permitida entre parentes ou em casos especiais autorizados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

10) É possível escolher o sexo do bebê por meio da FIV

Mito. Tal prática é considerada anti-ética e condenada pelo CFM no Brasil.

 

Por Larissa Sampaio

Conversa Coletivo de Comunicação Criativa

Mais Notícias

Por que a idade influencia na fertilidade feminina?

Conheça a laparoscopia: um procedimento minimamente invasivo

A importância da ultrassonografia na avaliação de pacientes

Tudo que você precisa saber sobre gestação ectópica

Reversão de vasectomia pode recuperar fertilidade masculina

Mitos e verdades sobre a FIV

Genesis Brasília lança Programa de Estágio Avançado em Reprodução Assistida e Endoscopia Ginecológica

Portadores de HIV/AIDS podem planejar a gestação sem riscos ao bebê

Qual tratamento mais indicado para o meu caso?

Conheça o passo a passo do congelamento de sêmen