Como a cesariana pode interferir na fertilidade da mulher?

> Blog

Como a cesariana pode interferir na fertilidade da mulher?

4 de janeiro de 2018

Os dados mais recentes do Ministério da Saúde revelam que dos 3 milhões de nascimentos no Brasil, 55,5% foram cesáreas e 44,5% partos vaginais. A escolha da via de parto deve ser realizada junto ao obstetra, considerando questões como a segurança e saúde da mãe e do filho, além da possibilidade de aumentar ainda mais a família. Isso porque, apesar de incomum após uma única cesárea, a cirurgia recorrente pode afetar a fertilidade da mulher e dificultar gestações futuras.

De acordo com Nícolas Cayres, gineco-obstetra da Genesis Brasília, o ideal é aguardar entre dois a três anos para se tentar uma nova gestação depois de uma cesárea. “É ideal adiar a concepção para que o útero regenere adequadamente, passe pelo processo de cicatrização da forma correta. Isso reduz a ocorrência de dores, risco de rotura uterina entre outras complicações possíveis”, explica o médico.

Contornando possíveis riscos na gestação pós cesárea

Após uma cesariana, as mães têm maior probabilidade da formação de aderências pélvicas, ou seja, faixa de tecido que une dois tecidos do corpo, como se fosse uma cicatriz anormal. “Uma vez formadas, as aderências ficam mais rígidas com o passar do tempo, podendo se expandir. No caso da cesárea, é comum essa aderência afetar as trompas, podendo gerar perda da sua mobilidade e ou mesmo obstrução. Se as trompas estiverem obstruídas não tem como o óvulo encontrar com o espermatozoide pois a passagem estaria bloqueada para ambos”, afirma Nícolas, médico creditado pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA).

Cerca de 15% dos problemas de fertilidade feminina são atribuídos a problemas com as trompas. Isso porque a trompa ou tuba uterina é um canal importante e fundamental para que a gravidez se inicie. “São as trompas que captam o óvulo no momento da ovulação e o abrigam até que o espermatozoide chegue até ele para fertilizar. Por isso, quando diagnosticado, realizamos a lise, ou seja, a retirada cirúrgica das aderências de forma precisa e delicada para tentar eliminar qualquer impedimento à fertilização do óvulo” reforça o especialista.

Quando a cirurgia é contraindicada, não se obtém êxito com o procedimento, existem outros fatores associados (como problemas de semen) ou naquelas com uma faixa etária mais avançada, a mulher ainda pode tentar engravidar por meio da Fertilização In Vitro (FIV). “A FIV é uma técnica de reprodução humana assistida de alta complexidade na qual os óvulos e os espermatozoides são colocados em um ambiente de laboratório que simula as condições das trompas. A produção ovariana de óvulos é maximizada com hormônios administrados na mulher. Após a captação dos óvulos pelo ultrassom vaginal acoplado a uma agulha longa que acessa os ovários, sob sedação anestésica, eles são deixados em uma incubadora por cerca de três a cinco dias para que a fecundação ocorra e o processo resulte na formação de embriões a serem transferidos ao útero da mulher”, conclui o especialista.

Conheça alguns dos possíveis riscos da cesárea:

• Anomalias de placentação (placenta acreta, placenta prévia ou “baixa)
• Rompimento do útero em gestação futura
por perda da elasticidade uterina
• Dor pélvica
• Infertilidade por problemas de aderência ou obstrução das trompas

GENESIS – Com 25 anos de atuação, a Genesis – Centro de Assistência em Reprodução Humana conta com profissionais especializados, formados nos principais centros acadêmicos do mundo para prestar serviços de excelência na área de reprodução humana assistida. Com uma ampla experiência, a equipe Genesis busca constantemente a qualidade em medicina reprodutiva agregando conhecimento e tecnologia e primando pela assistência ética, personalizada, com confidencialidade e foco no melhor resultado para cada caso.

Por Júlia Carneiro – Conversa Coletivo de Comunicação Criativa

Mais Notícias

O pré-natal de quem engravidou por fertilização in vitro é diferente?

Agrotóxicos e pesticidas podem prejudicar fertilidade

Médica da Genesis é premiada em Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida

Entenda o que é falha de implantação e por que ela ocorre

Genesis é convidada a validar diagnóstico genético não invasivo em embriões no Brasil

Equipe médica da Genesis participa do XXIII Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida

Estudo holandês aponta que fertilização in vitro não aumenta risco de câncer de ovário

Saiba quais fatores interferem nos resultados da fertilização in vitro (FIV)

Corpo clínico da Genesis é destaque em eventos internacionais

Estilo de vida saudável é aliado da fertilidade