Estágio Avançado em Reprodução Humana forma novos talentos

> Blog

Estágio Avançado em Reprodução Humana forma novos talentos

10 de abril de 2018

Em 1998, a clínica Genesis recebia o seu primeiro estagiário. No ano seguinte, devido à grande demanda que se apresentou, o centro de reprodução começou a oferecer vagas de estágio por um período de 1 ano. O programa cresceu e, desde 2002, oferece duas vagas anualmente. “Temos ainda um estágio eletivo optativo de um mês para todos os residentes de ginecologia do Distrito Federal em seu último ano de curso”, explica César Barbosa, médico coordenador e sócio da Genesis.

Após 20 anos, o motivo pelo qual o programa de estágio foi criado é claro. “O corpo clínico inicial da Genesis sempre participou ativamente da residência em ginecologia da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Por deficiências em vários serviços desses programas, os residentes solicitavam a possibilidade de passar algum período na clínica para aprimorar suas habilidades. Aliado ao desejo de ensinar algo na área de endoscopia e reprodução assistida vinha a vontade de ampliar a equipe, assim, achamos que essa seria a maneira ideal de escolher nossos futuros colegas de trabalho. Logo, criamos o Estágio Avançado em Reprodução Humana”, revela o médico.

Os estudantes são escolhidos por meio de um processo seletivo, cujo pré-requisito é ter concluído os três anos de residência médica em ginecologia e obstetrícia, que consiste em prova escrita (80%), análise de currículo (10%), inglês (5%) e entrevista oral (5%). Esta prova habitualmente ocorre no mês de fevereiro e o estágio se inicia em março, terminando em fevereiro do ano seguinte, mesmo período da residência médica.

“Durante esse tempo é feito toda uma revisão sobre endocrinologia ginecológica e são passados conceitos teóricos e práticos de como conduzir um casal infértil, indicando, acompanhando e executando todo tipo de tratamento, desde o procedimento mais simples — o que pode ser feito em qualquer consultório de ginecologia — ao mais sofisticado — como as técnicas de reprodução assistida de alta complexidade. Também fazemos o acompanhamento das videocirurgias ginecológicas”, explica César.

Com o rigor do processo seletivo e ensinamentos intensos durante o estágio, diversos novos talentos foram descobertos durante o programa. “Acreditamos que com um processo seletivo técnico e imparcial conseguimos escolher os melhores profissionais interessados na área que, ao ter a chance de conhecer essas tecnologias, se mostraram excelentes especialistas, engrandecendo a equipe Genesis”, conta o sócio.

Além do programa de estágio, uma das marcas da Genesis é investir na carreira de seus profissionais. “Temos atividades científicas semanais para todo corpo clínico, incluindo profissionais não médicos, em que discutimos temas teóricos e elaboramos protocolos de atendimento baseados em fortes evidências científicas. Não temos espaço para ‘eu acho’. Trabalhamos da maneira mais atualizada possível e com procedimentos comprovados cientificamente”, finaliza César Barbosa.

Por Rodrigo Rocha
Conversa Coletivo de Comunicação Criativa

Mais Notícias

Estudo aponta que mulheres que usam aplicativos para monitorar ciclo menstrual aumentam suas chances de engravidar em até 20%

Entenda como a alimentação pode influenciar na síndrome dos ovários policísticos

Genesis participa do primeiro estudo brasileiro multicêntrico sobre análise embrionária não invasiva

O que você come importa: saiba o que incluir no prato para aumentar as chances de uma gravidez saudável

Pesquisa aponta relação entre idade paterna avançada e maiores taxas de abortamento: entenda

Parte II: Como funcionam os tratamentos de reprodução assistida para a população LGBTQIA+?

Parte I: Como funcionam os tratamentos de reprodução assistida para a população LGBTQIA+?

Infertilidade: saiba mais sobre a condição que atinge cerca de 15% dos casais do mundo

Covid-19 e gravidez: o que se sabe até agora

Diagnóstico genético embrionário: o que é e como funciona?